Sérgio Cabral explica o 'toma lá, dá cá'

Telegram

Em seu depoimento de hoje a Marcelo Bretas, Sérgio Cabral também confirmou que o dinheiro de propina que os doleiros Renato e Marcelo Chebar disseram ter lavado era seu.

Em sua nova estratégia, o ex-governador do Rio declarou ainda que são verdadeiras “99%” das declarações feitas à Justiça por Carlos Miranda, apontado como seu “homem da mala”.

Miranda disse ter feito várias operações de recebimento e distribuição de propina, em dinheiro vivo, por ordem do então governador.

Seu patrimônio e sua aposentadoria estão ameaçados. SAIBA MAIS AQUI

De quebra, Cabral foi especialmente didático neste trecho:

“São raríssimos os empresários que deram dinheiro para campanhas eleitorais e não esperavam contratos [públicos]. Todos esperam retorno. No Brasil, isso é uma espécie de ‘toma lá, da cá’. Uma ética de compromisso, você me ajudou, eu vou te ajudar. Não tem nada formalizado, mas está implícito.”

Comentários

  • Tonico -

    Essa materiazinha requentada tem 15 dias. Alguém aí no Antagonista ainda esta sob efeito de alguma substância. Deve ser vento. Estocado pela Dilmamata.

  • Regildo -

    "Uma ética de compromisso..."! Grande filósofo, esse Cabral!

  • marcelo -

    Sobrepeso de muitos milhões não é ajuda é corrupção eu enriquece vc enriquece, a bancada enriquece. Isso é corrupção pura

Ler 42 comentários