ACESSE

Moro diz que Bolsonaro queria 'rebelião armada' contra prefeitos e governadores

Telegram

Na nota em que rebate informações e críticas de Jair Bolsonaro a seu respeito em conversa com apoiadores, na manhã desta segunda-feira, em frente ao Palácio da Alvorada, Sergio Moro diz que o presidente da República queria “promover uma espécia de rebelião armada” durante a pandemia da Covid-19.

Bolsonaro afirmou que Moro “ignorou decretos meu e ignorou lei, para dificultar a posse e o porte de arma de fogo para cidadão de bem”.

O ex-ministro rebateu assim:

“Sobre políticas de flexibilização de posse e porte de armas, são medidas que podem ser legitimamente discutidas, mas não se pode pretender, como desejava o presidente, que sejam utilizadas para promover espécie de rebelião armada contra medidas sanitárias impostas por governadores e prefeitos, nem sendo igualmente recomendável que mecanismos de controle e rastreamento do uso dessas armas e munições sejam simplesmente revogados, já que há risco de desvio do armamento destinado à proteção do cidadão comum para beneficiar criminosos.”

Moro acrescentou que “a revogação pura e simples desses mecanismos de controle não é medida responsável”.

E afirmou também:

“Sobre a ofensa pessoal feita, meu entendimento segue de que quem utiliza desse recurso é porque não tem razão ou argumentos.”

Leia também: Lições da gripe espanhola de 1918 para hoje a pandemia de hoje

Comentários

  • EGIDIO -

    Fez um bom trabalho. Agora, cuida da vida. Não deu certo, ponto. Não entre em discussões, não manche sua imagem. Bater boca pela imprensa é coisa pequena.

  • Ulysses -

    Quanto mais o Bolsonaro falar do Dr. Sergio Moro mais ele se afunda até o ponto que terá que renunciar ou será impedido. A maioria do povo não esta aquentando mais o Bolsonaro e filhos.

  • lvaro -

    NÃO ME SINTO BEM CRITICAR SÉRGIO MORO, NO ENTANTO, JÁ ESTÁ NA HISTÓRIA COMO O MAIOR JUDAS DA ERA REPUBLICANA BRASILEIRA.

Ler 317 comentários