Servidor é desligado do Cade após pedir investigação de lobby de Wassef para Viracopos

O servidor Carlos Eduardo Silva Duarte, que estava no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), foi desligado do cargo. Ele foi o autor do pedido de investigação à PGR sobre reportagem de O Antagonista que revelou o contrato de Frederick Wassef com a concessionária de Viracopos.

Na terça-feira, Augusto Aras anunciou a abertura de uma investigação preliminar sobre o caso, mas se manifestou pelo arquivamento. Para Carlos Eduardo, haveria indícios de corrupção, advocacia administrativa e tráfico de influência.

Hoje, diz o Globo, o servidor recebeu a notícia de que a chefia do Cade havia feito um pedido de devolução dele à Embratur, empresa vinculada ao Ministério do Turismo, onde ele é servidor de carreira. Ele havia sido cedido ao Cade temporariamente, ainda neste ano.

“Ele (Wassef) disse que eu faço parte de uma organização que quer destruir a imagem dele. Logo depois, minha chefe imediata me ligou e disse que eu tinha sido desligado. Ela disse que não sabia o motivo e que poderia ser algo relacionado ao meu desempenho, e tiraram todo meu acesso aos sistemas.”

Procurado, o Cade informou que “um pedido de devolução foi realizado em razão do baixo desempenho do servidor ao longo dos meses em exercício na autarquia” e disse que, até o momento, não tinha ciência de que o servidor, que também é advogado, tinha feito a denúncia no Supremo.

Leia mais: Combo Crusoé e O Antagonista+ por apenas R$ 1,90. Acesse agora
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 56 comentários
TOPO