Sete Brasil: desconfiar, desconfiando

Qualquer acordo que a Petrobras pretenda negociar para salvar a Sete Brasil deve contar com a presença de representantes da Lava Jato, do TCU e da CGU.

A Sete Brasil consumiu US$ 7 bilhões e não entregou sequer um navio-sonda, a Sete Brasil foi inventada para intermediar a construção de navios e pagar pixulecos para o PT, as operações financeiras da Sete Brasil no exterior foram estruturadas por Pedro Barusco, réu confesso e delator da Lava Jato, a Sete Brasil foi presidida por João Carlos Ferraz, que já admitiu ter recebido propina dos contratos da empresa “num momento de fraqueza”.

A Sete Brasil não merece confiança.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200