Siro Darlan se torna réu por corrupção passiva

A Corte Especial do STJ aceitou nesta quarta-feira, 16, denúncia contra o desembargador Siro Darlan, do TJ do Rio, por corrupção passiva.

Por 12 votos a 1, Darlan, acusado de venda de liminar em novembro de 2015, se tornou réu. Por unanimidade, o STJ também manteve seu afastamento do TJ do Rio até o fim da instrução criminal.

O desembargador foi denunciado em abril pela PGR, pelo suposto recebimento de propina de R$ 50 mil em troca de uma liminar para soltar o empresário Ricardo Abbud de Azevedo, em 2015.

Darlan também é acusado de vender decisões judiciais durante os plantões no TJ do Rio, que ele costumava se oferecer para fazer.

Leia mais: Exclusivo: a imprensa livre na mira
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 8 comentários
TOPO