Só há espaço para a delação de uma empreiteira

Os advogados das empreiteiras vazam para a imprensa o conteúdo de suas propostas de delação premiada para constranger o Ministério Público a assinar acordos com seus clientes.

Mas os procuradores da Lava Jato não caem na conversa.

Carlos Fernando dos Santos Lima disse ao Estadão que “não vê a possibilidade de que duas ou mais empreiteiras investigadas por desvios na Petrobras e outras áreas do governo fechem acordos de leniência e de delação premiada.

Questionado se os investigadores estão perto de um entendimento com a Odebrecht e a OAS, as maiores empreiteiras que ainda não formalizaram colaboração, ele declarou: ‘As coisas estão muito longe de serem resolvidas, quem vai (fazer). Acreditamos que só tenha espaço para mais uma'”.

Ele disse também:

“Há uma distância muito grande entre mostrarem interesse e assinarem o acordo. Para se ter ideia, entre o começo da conversa da Camargo (Corrêa) e a assinatura, foram sete meses. Com fatos velhos, não vamos fazer (acordo)”.

Faça o primeiro comentário