Só há uma saída: vacina

Só há uma saída: vacina
Foto: Carlos Magno/Governo do Estado do Rio de Janeiro

O Antagonista perguntou a senadores o que pode ser feito no curto prazo para ajudar o Brasil a sair deste grave momento da pandemia da Covid-19.

Há uma avaliação óbvia e unânime de que somente a vacinação em massa amenizará a situação. Para isso, acredita-se que uma saída seja, de fato, a permissão para que estados e municípios negociem a compra de vacinas diretamente com as farmacêuticas.

“É preciso que estados e municípios também comprem as vacinas. A retomada da economia só virá com 70% da população imunizada”, disse Otto Alencar, do PSD da Bahia.

Oriovisto Guimarães, do Podemos do Paraná, também aposta na “aprovação de leis que liberem a compra de vacinas por estados, municípios e iniciativa privada”.

A Câmara, como registramos, deve aprovar ainda hoje o projeto que autoriza estados, municípios e empresas a comprarem vacinas, sem responsabilização das farmacêuticas por eventuais eventos adversos graves. O teor da proposta, que já passou pelo Senado, foi antecipado por O Antagonista.

Jorge Kajuru, do Cidadania de Goiás, acrescentou a importância de o Congresso aprovar o quanto antes o retorno do auxilio emergencial, mas também focou nas vacinas.

“É preciso pressionar o Executivo para que o país compre vacinas. Sem vacina, não há solução e o que está ruim só tende a piorar.”

Em meio a esse contexto, senadores defendem, ainda, a instalação da CPI da Covid, para apuração de responsabilidades durante a pandemia.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO