Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Só para lembrar: Bolsonaro não tem partido

Eleitos na esteira do bolsonarismo em 2018, deputados da "base raiz", sobretudo da ala mais ideológica do PSL, estão desesperados
Só para lembrar: Bolsonaro não tem partido
Foto: Reprodução/Redes sociais

A pouco mais de um ano para as eleições de 2022, Jair Bolsonaro continua sem partido para concorrer à reeleição.

O presidente, depois que saiu do PSL, pelo qual foi eleito em 2018, fracassou redondamente na tentativa de criar um partido para chamar de seu: a Aliança pelo Brasil.

Desde então, ele, seus filhos e seu grupo político procuram um lugar. O último partido que tentaram tomar, sem sucesso, foi o Patriota.

Agora, restam cada vez menos opções.

Ou Bolsonaro, rendido ao Centrão, se encaixa em uma das siglas desse grupo fisiológico que, no fim das contas, está pouco se lixando para ele, ou vai, de novo, negociar para assumir o controle de algum outro nanico, como o DC (Democracia Cristã), do lendário Eymael.

“Quanto mais ele demorar a decidir, mais ele ficará com a faca no peito”, disse a O Antagonista o secretário-geral de um partido de centro.

“Acho que, nesta busca de partido, ele já perdeu: ou será engolido por caciques em algum partido do Centrão ou concorrerá à reeleição por um partido pequeno, o que complicará a vida dele”, afirmou um parlamentar que é ex-aliado do Planalto. “O que a gente escuta é que até hoje ele não engole a fracassada tentativa de criar a Aliança pelo Brasil”, acrescentou.

Eleitos na esteira do bolsonarismo em 2018, deputados da “base raiz”, sobretudo da ala mais ideológica do PSL, estão desesperados.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO