Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Sobre negar o que ninguém acusou

O Ministério Público Federal teve de explicar à Folha que não apontou que integrantes da Odebrecht atuaram na compra do apartamento de Lula em São Bernardo do Campo.

“A acusação afirma que a Odebrecht pagou propina consistente na disponibilização de recursos para a compra do imóvel do Instituto Lula, parte da qual acabou sendo empregada, em operação de lavagem de dinheiro, na compra do apartamento.”

A equipe da Lava Jato disse ao jornal que há provas abundantes de que parte do dinheiro que a empreiteira, num primeiro momento, disponibilizou para a compra do imóvel do Instituto Lula, “foi lavada, num segundo momento, por outras pessoas que tinham conhecimento da origem ilegal – pelos acusados Lula, Roberto Teixeira [compadre de Lula] e Glaucos da Costamarques –, por meio da compra do apartamento”.

O MPF afirmou ainda que os delatores Marcelo Odebrecht e Paulo Melo não foram acusados da prática de lavagem de dinheiro no que diz respeito ao imóvel de São Bernardo do Campo.

Apesar de tudo, a Folha destacou a matéria: “Delatores da Odebrecht negam vínculo com apartamento alugado por Lula”.

A defesa do petista agradece.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO