Solidariedade também opta pela ‘neutralidade’

O Solidariedade também liberou seus militantes e líderes no segundo turno da corrida presidencial.

Paulinho da Força, presidente da legenda e deputado reeleito, disse, segundo registro do Estadão:

“Achamos que o Brasil está dividido e que isso não é bom para o País. Então optamos pela independência e por liberar os dirigentes a apoiar quem quiserem.”

Foi declarada a guerra do 2º turno que, definirá também o curso da Lava Jato. Saiba mais AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 24 comentários
  1. Ser neutro é se acovardar. Para ser BOLSONARO tem que ser corajoso, tanto quanto ele o é. Este é o motivo que a multidão o carrega nos braços e de graça, sem qualquer dinheiro sujo, faz a campan