Solidariedade também opta pela 'neutralidade'

Telegram

O Solidariedade também liberou seus militantes e líderes no segundo turno da corrida presidencial.

Paulinho da Força, presidente da legenda e deputado reeleito, disse, segundo registro do Estadão:

“Achamos que o Brasil está dividido e que isso não é bom para o País. Então optamos pela independência e por liberar os dirigentes a apoiar quem quiserem.”

Comentários

  • Aderval -

    Paulinho do roubo no Min. do Trabalho só quer o imposto para sustentar vagabundo sindical de volta. O resto e resto

  • Jorge -

    Se estivesse dividido voce optaria pelo PT, mas vc sabe que não está dividido tá 60% Bolsonaro e 40% Haddad

  • Romino -

    Liberado geral: façam o que quiserem.

Ler 23 comentários