Solução menos danosa

Ao final de sua manifestação no STF, o procurador-geral interino, Alcides Martins, propôs que, se o plenário estabelecer que delatados devem apresentar alegações finais sempre depois dos delatores, a regra só passe a valer daqui para a frente.

Assim, com exceção do caso de Aldemir Bendine, não seria anulada nenhuma condenação já sentenciada com base na lei, que prevê o prazo comum.

Outubro: o desmonte do Brasil que a Lava Jato tentou construir? Saiba mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 18 comentários
TOPO