STF decide na próxima semana se juiz pode julgar caso em que parente seja advogado

Telegram

O STF marcou para 17 de abril o julgamento, em plenário virtual, de um processo que trata sobre o impedimento de juízes em processos em que estejam envolvidos clientes do escritório de advocacia do cônjuge ou parente até o terceiro grau.

Trata-se de um ação direta de inconstitucionalidade (ADI) da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

A AMB afirma que o juiz não tem como saber se uma das partes é cliente de advogado que se enquadre na regra de impedimento, porque não há essa informação no processo. Por isso, a lei seria impossível de ser cumprida e deveria ser declarada inconstitucional, pois fere o princípio de proporcionalidade.

Leia também: Covid-9: o maior desafio desde a 2ª Guerra Mundial

 

A PGR e a AGU se posicionaram contra a ação. Edson Fachin é o relator da ADI.

Comentários

  • SONIA -

    Só rindo para não chorar.

  • Beth -

    mas é muito óbvio

  • Juarez -

    É claro que não pode e exatamente por isso vão autorizar. São subversores da ordem instituída.

Ler 25 comentários