STF nega tentativa de barrar impeachment

Celso de Mello julgou inviável um habeas corpus impetrado pelo advogado Luiz Carlos dos Santos Justo para suspender o rito do impeachment de Dilma Rousseff.

“Não existe a hipótese de aplicação de qualquer sanção privativa de liberdade nesse contexto.”

Esse tende a ser o teor da decisão diante de quaisquer outras tentativas de barrar o processo no Senado.

Faça o primeiro comentário