Iluminar para evitar subtrações

O Supremo Tribunal Federal derrubou a regra da minirreforma eleitoral que impedia a identificação dos doadores de campanhas. Os ministros entenderam que a norma contraria a transparência na disputa eleitoral.

Dessa forma, volta a valer a norma do TSE que exigia a identificação da origem da doação repassada pelo partido ao candidato.

Teori Zavascki, relator do caso, disse que “o conhecimento dos nomes dos doadores ilumina conexões políticas facilmente subtraídas do público nos discursos de campanha, denunciando a maior ou menor propensão dos candidatos e partidos a abandonar suas convicções ideológicas”.

Não são apenas as conexões políticas que são subtraídas, ministro.

Faça o primeiro comentário