STJ manda prender conselheiro do TCE de Mato Grosso

O Superior Tribunal de Justiça decretou hoje a prisão preventiva do conselheiro do TCE de Mato Grosso Waldir Teis. Ele foi denunciado pelo MPF por corrupção ativa, corrupção passiva e por lavagem de dinheiro. Os procuradores ainda pedem que ele pague R$ 3 milhões de danos morais coletivos.

Teis é investigado na Operação Ararath, que apura crimes de corrupção, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e organização criminosa por conselheiros do TCE-MT. O caso corre no STJ, onde membros de tribunais de contas têm prerrogativa de foro.

O conselheiro está afastado de suas funções desde 2017, junto com outros quatro integrantes do TCE-MT, Antonio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo e Valter Albano. Eles foram denunciados pelo ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa, que fez delação premiada.

De acordo com o MP, a Polícia Federal flagrou Waldir Teis tentando destruir cheques durante uma diligência de busca e apreensão no escritório dele. Ele havia descido de escada os 16 andares do prédio em que fica o imóvel para jogar os canhotos dos cheques na lixeira.

Os cheques somavam R$ 450 mil, segundo os policiais.

Como ele é conselheiro do TCE de Mato Grosso, tem imunidade e não pode ser preso em flagrante.

Leia mais: Um amigo aconselhou Bolsonaro a renunciar. O presidente resiste. E tem um plano para ir até o fim
Mais notícias
TOPO