ACESSE

STJ mantém afastamento de desembargador do TJ do Rio acusado de corrupção

Telegram

A corte especial do STJ prorrogou nesta quarta (19), pelo prazo de um ano, o afastamento do desembargador Mário Guimarães Neto, do TJ do Rio, denunciado pela PGR sob acusações de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Por unanimidade de votos, a corte especial manteve o afastamento pelo prazo de um ano, a contar a partir de hoje, registra O Globo. A abertura da ação penal ainda não foi levada a julgamento.

Guimarães está afastado do cargo desde abril deste ano, quando a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em seus endereços. O desembargador foi acusado por Lélis Teixeira, ex-presidente da Fetranspor, de favorecer as empresas de ônibus do Rio numa sentença, em troca de propina.

Em sua denúncia, apresentada em julho, a PGR apontou movimentação de “grandes quantias” em espécie por parte de Guimarães e sua mulher, a advogada Gláucia Guimarães.

De acordo com as investigações, Gláucia recebeu depósitos de R$ 1,6 milhão em dinheiro vivo entre 2012 e 2019, incluindo repasses de um funcionário do gabinete do desembargador.

Leia mais: Exclusivo: O 'blog' do Aras

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 4 comentários