STJ mantém bloqueio de 1 bi em bens da Michelin

O ministro Benedito Gonçalves negou pedido da Michelin para suspender os efeitos de uma decisão do TJ do Rio que determinou a indisponibilidade de bens da empresa no montante de R$ 1,028 bilhão.

A Justiça estadual considerou ilegais trechos do decreto que incluiu a empresa no Rioinvest com o fim de lhe conceder benefícios fiscais em valor superior a R$ 1 bilhão.

Após decisão de primeira instância, o TJRJ manteve o bloqueio dos bens da empresa e a condenação solidária da Michelin e do ex-governador Sérgio Cabral à restituição dos valores não recolhidos a título de ICMS.

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

Ler mais 6 comentários
  1. QUANDO A FORCA TAREFA E DOUTOR BRETAS IRÃO INVESTIGAR AS CONCESSÕES FISCAIS FEITAS PELO CABRAL??? TEM GLOBO AMBEV ESSA DA MICHELIN FOI UMA DAS VARIAS TEM PETROPOLIS TEM ATE CASA DE MASSAGEM ACREDITEM SE QUISER!!!! KKK

  2. Os Politicos do Grupo Cabral, não o Pedro Alvares, fizeram um estrago e tanto no Rio, no Brasil foi o desgoverno de 13, 5 ano de pura incompetência, corrupção e muito mau caratismo.Implantaram a República Comunista Cleptocrata Bolivariana.

  3. Até parece que o Cabral vai pagar alguma coisa! O magistrado toma a decisão, não explica como o condenado irá pagar e a coisa cai toda no colo da empresa, que ganhou o benefício e não tem nada a ver com as falcatruas do Cabral!
    Se eu fosse a empresa, ia embora do RJ! Funcionário público pensa que dinheiro cai da árvore!
    Tomara que essas grandes empresas corram do RJ! Quando a galinha dos ovos de ouro(pagador de impostos) sair fora ou morrer à míngua, eu quero ver quem irá sustentar o luxo, as mordomias, as mamatas e a vida nababesca desses funcionários públicos federais, estaduais e municipais!
    Essa gente vai acabar um devorando o outro até todos sumirem também!

  4. – Bolsonaro quer o comunista Aldo Rebelo na Defesa.
    “Vim desmentir essa história de que o Aldo tem restrições nas Forças Armadas. Pelo contrário, é uma pessoa que entende do assunto e tem grande respeito”, disse Bolsonaro, que votou em Ciro Gomes no primeiro turno e em Lula, no segundo.
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1912200206.htm