STJ prorroga prisão do grupo de Helder

STJ prorroga prisão do grupo de Helder
Após reunião com o presidente Jair Bolsonaro, o governador do Pará, Helder Barbalho fala com a Imprensa.

O ministro Francisco Falcão, do STJ, prorrogou por mais cinco dias as prisões temporárias de cinco pessoas que foram alvo da Operação SOS, que investiga supostos desvios na saúde pública do Pará na gestão de Helder Barbalho.

A prorrogação atendeu a pedidos da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.

Tiveram as suas prisões temporárias prorrogadas o secretário estadual de Transportes, Antônio de Pádua de Deus Andrade, o assessor Leonardo Maia Nascimento,  o ex-secretário-adjunto de Gestão Administrativa Peter Cassol Silveira e Nicolas André Tsontakis Morais.

Parsifal de Jesus Pontes, secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, também teve a prisão prorrogada. Ele é apontado pela Polícia Federal como um dos responsáveis por estruturar o suposto esquema de fraudes em licitações.

Em sua decisão, o ministro do STJ diz que novos elementos apresentados pelos investigadores “são suficientes para demonstração da necessidade da prorrogação da medida cautelar da prisão” temporária do grupo.

Já a manifestação da Procuradoria-Geral da República aponta que são “extensas” as provas de que “uma complexa organização criminosa” está em plena atividade.

“Ora, um grupo criminoso desse porte, capaz de fraudar diversos procedimentos licitatórios e gerar contratações milionárias voltadas ao desvio de recursos públicos, revela grande periculosidade, capaz, sem qualquer dúvida, de frustrar as investigações do inquérito.”

Leia mais: STJ: os ministros e seus familiares abastados que advogam na corte
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 10 comentários
TOPO