Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Ministro do STJ restabelece condenações de policiais do massacre do Carandiru

Joel Ilan Paciornik avaliou que o TJ-SP cometeu um equívoco em 2018 ao determinar que os agentes fossem julgados novamente
Ministro do STJ restabelece condenações de policiais do massacre do Carandiru
Foto: Agência Brasil

Joel Ilan Paciornik, STJ, restabeleceu as condenações dos policiais envolvidos no massacre do Carandiru, que resultou na morte de 111 presos, em 1992. As condenações dos 73 agentes variam de 125 a 600 anos.

As condenações dos 73 agentes variam de 125 a 600 anos.

O ministro  avaliou que o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) cometeu um equívoco em 2018 ao determinar que os policiais fossem julgados novamente, anulando todas as condenações.

Na ocasião, os desembargadores tinham firmado o entendimento de que os jurados que condenaram os policiais tinham julgado contra as provas dos autos.

O Ministério Público do Estado de São Paulo recorreu, e Paciornik acolheu os argumentos.

“A decisão dos jurados não pode ser acoimada de manifestamente contrária à prova dos autos. Para se alcançar tal conclusão, bastou a leitura dos atos decisórios“, disse o ministro em seu parecer.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO