Suaves prestações

Está certo que a multa de US$ 3,5 bilhões da Odebrecht é a maior da história, mas foi parcelada em suaves prestações por 23 anos. Se voltar a abocanhar contratos com o poder público, como na Petrobras, adivinhem quem pagará a conta (de novo)?