Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Sub-PGRs fazem manifesto em defesa da Lava Jato do Rio

CNMP abriu reclamação disciplinar que acusa os antigos integrantes da força-tarefa de vazamento de informações por causa de divulgação de texto à imprensa
Sub-PGRs fazem manifesto em defesa da Lava Jato do Rio
Foto: Divulgação

Um grupo de 35 subprocuradores-gerais da República, que compõem o último degrau da carreira do MPF, divulgou um manifesto em defesa dos antigos integrantes da força-tarefa da Lava Jato do Rio.

O motivo é a abertura de uma reclamação disciplinar contra os ex-membros da força-tarefa pelo Conselho Nacional do Ministério Público, que pode resultar em demissão dos seus cargos.

A reclamação foi aberta pelo corregedor nacional do CNMP, Rinaldo Lima, após pedido de Edison Lobão e Romero Jucá. Os dois ex-senadores do MDB foram denunciados pela Lava Jato do Rio sob a acusação de receber propina desviada das obras da usina nuclear de Angra 3.

Na representação enviada ao CNMP, Jucá e Lobão acusam os procuradores da antiga força-tarefa de terem vazado informações sigilosas à imprensa por meio da divulgação de um comunicado que relatava a apresentação da denúncia.

“A divulgação da denúncia (…) apenas instrumentalizou, ordinariamente, os deveres de publicidade e informação, reclamados nos Estados de Direito, que são a fiel expressão do princípio republicano a que todos os órgãos públicos devem observar, por prestarem contas de seus atos à cidadania”, rebatem os 35 sub-PGRs em seu manifesto.

O texto dos subprocuradores-gerais diz ainda que “o dever constitucional de publicidade impõe-se por inafastável apreço à República”.

Rinaldo, o corregedor do CNMP, é citado em recente denúncia da PGR por dar orientações a Ediene Lousado, ex-procuradora-geral da Bahia e uma da investigadas na Operação Faroeste.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO