Subprocurador do MP de Contas do TCU diz que propaganda do pacote anticrime incentiva 'sensação de insegurança'

Ao determinar a suspensão imediata da propaganda do pacote anticrime, conforme antecipado por O Antagonista, o ministro do TCU Vital do Rêgo acolheu uma representação de parlamentares da oposição e também do subprocurador do Ministério Público de Contas do TCU Lucas Rocha Furtado.

Segundo o subprocurador, na campanha em questão, houve “possível direcionamento de verbas publicitárias em decorrência de interesses pessoais e ideológicos do governo”.

Furtado argumentou que as peças publicitárias incentivam “sensação de insegurança no Brasil”.

“Nesse sentido, me parece um paradoxo o governo incentivar, através de campanha publicitária favorável ao pacote anticrime proposto pelo atual Ministro da Justiça, a sensação de insegurança no Brasil, quando, constitucionalmente, cabe a esse órgão garantir o direito à segurança dos cidadãos.”

Vital do Rêgo acolheu esses argumentos e tomou a decisão cautelarmente sem consultar a unidade técnica do tribunal.

Comentários

  • Ryu -

    Que cara doente! Desculpa esfarrapada para proteger amigos bandidos! Agora dizer que o país deve combater a criminalidade é incentivo à insegurança????????????? Faz-me rir!

  • Xavier -

    CPI do TCU vamos saber onde estava essa turma nos últimos 16 anos!!!!

  • Giusti -

    Mas, afinal, o problema do Brasil é a insegurança ou apenas a sensação dela?

Ler 76 comentários