Subprocuradores dizem que indicação de PGR deve ser feita com 'total imparcialidade'

Uma nota assinada por 22 subprocuradores da República defendeu que a indicação do próximo procurador-geral por Jair Bolsonaro “deve ser regida por total imparcialidade”.

Afirmaram que o escolhido deve obedecer aos princípios de “independência e a autonomia” do MP, “sem submissão a qualquer dos poderes”, e “ter uma carreira de envolvimento com os assuntos atuais do Ministério Público Federal”.

A preocupação cresceu com a possibilidade de Bolsonaro escolher Antonio Carlos Simões Martins Soares, desconhecido dentro do órgão.

Comentários

  • Moisés -

    Querem a lista tríplice, uma corporação agindo em benefício próprio. O Presidente foi eleito com dezenas de milhões de votos, e o PGR deve representar a agenda e valores eleitos pelo povo.

  • Robson -

    E antes era?

  • CARLOS -

    A mesma "imparcialidade" dos governos anteriores?

Ler 136 comentários