Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Subprocuradores-gerais pressionam Aras a investigar Bolsonaro por ameaça ao pleito de 2022

Ação foi tomada após silêncio do PGR sobre as falas do presidente; sub-PGRs veem 'abuso de poder de autoridade' e tentativa de 'supressão das regras do jogo democrático'
Subprocuradores-gerais pressionam Aras a investigar Bolsonaro por ameaça ao pleito de 2022
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Um grupo de cinco subprocuradores-gerais da República —metade do Conselho Superior do MPF— enviou a Augusto Aras um pedido para abertura de investigação contra Jair Bolsonaro por suas declarações ameaçando a realização do pleito de 2022 e alegando fraude nas urnas eletrônicas, registra O Globo.

A ação foi tomada após o silêncio do PGRs sobre as falas de Bolsonaro, apesar de outras autoridades terem manifestado repúdio. Na carta, os sub-PGRs relembram a frase de Rosa Weber sobre o Ministério Público não poder ser “espectador” das ações dos demais Poderes.

Com o envio da representação ao procurador-geral, ele é obrigado a se manifestar e dizer se irá investigar o caso ou se não vislumbra a existência de ilícitos.

Para os sub-PGRs, as manifestações do presidente configuram “abuso de poder de autoridade”, com tentativa de “supressão das regras do jogo democrático”. Bolsonaro até agora não apresentou nenhuma prova das fraudes que alega no sistema de votação, além de pôr em dúvida a realização das eleições do próximo ano caso o Congresso não aprove o voto impresso.

Assinam a carta a Aras os subprocuradores-gerais José Adônis Callou de Araújo Sá, Mario Bonsaglia, Luiza Frischeisen, Nicolao Dino e José Elaeres.

Nesta segunda (12), conforme publicamos, um grupo de oito ex-PGRs, que também foram procuradores-gerais eleitorais, divulgou nota defendendo a confiabilidade da urna eletrônica.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO