Sugestão a Herman Benjamin

Sugerimos ao ministro Herman Benjamin, que julga a ação de cassação do mandato Dilma-Temer, direcionar o seu radar para outras empresas que prestaram supostos serviços à campanha da petista.

Uma delas é a DCO, de Uberlândia, que recebeu de Dilma Rousseff 4,8 milhões de reais, em pagamentos feitos em 21, 23, 24 e 25 de outubro de 2014. A DCO, além de ser “fornecedora” da campanha petista, atuou na campanha de Fernando Pimentel em Minas Gerais. Tudo isso a partir de uma casinha não muito longe da definição de barraco.

A outra é a Door2door, de Belo Horizonte, que levou 4,27 milhões de reais. O pagamento foi feito também em 25 de outubro de 2014. A empresa está sediada na rua Rio Grande do Sul,1040, loja 10, e não apresenta maiores referências.

A terceira suposta prestadora de serviços é a Criar, que embolsou 2,4 milhões de reais. A empresa se chamava Camisa 7 Negócios Desportivos, mas só depois de rebatizada começou a bater um bolão.