Sujou, Lula

A partir de hoje, o PT tem de pensar num plano B.

A candidatura de Lula se tornou ainda mais improvável com o julgamento de João Vaccari Neto.

O TRF-4 mostrou que não vai se intimidar com a baderna petista.

Daqui a alguns meses, Lula será um Ficha Suja.

 

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 95 comentários
  1. Todos conhecem essa narrativa.
    Políticos loucos e suas criações profanas. Criador e a criatura.
    O homem e o seu monstro de estimação.
    Mas, se o eleitor deslocado olhar mais de perto, a história pode revelar um ‘spoiler’ ainda mais tenebroso: às vezes, o médico é que é o monstro.
    E o monstro tem dono. Um patrocinador.
    Essa história pode ser contada pelo olhar de Nestor, um ex-funcionário de carreira que carregou o piano nas costas, numa estatal, desde que se entendia por gente. Quando ele se tornou um executivo de alto escalão — corcunda e dono das canetadas — virou uma aberração.

    O executivo mal sabia que, em uma noite fria, iria conhecer o homem que mudaria seu destino para sempre: um quiroprata.

  2. — Você não é corcunda de verdade, querido! — vaticinou o experiente manipulador articular, no seu instituto de quiropraxia.
    — Não? Sou um corcunda… fake?
    — Aham… tem um ‘bicesso’ aqui, na radiografia do negócio que causou esse “pasadena”.
    — Não seria um edema, doutor?
    — Ou isso. É um bolsão líquido. Mexa o ombro! Devagar… como se sente?
    — Enferrujado! Tá doendo…
    — Veja bem: a boa notícia é que podemos drená-lo.
    — Drenagem linfática? Como?
    — Tratamento num paraíso fis… quiroprata, querido. De graça, com tudo pago.
    — Férias superfaturadas? Onde?
    — No meu…. No castelo de um grande amigo, meu sócio… o Emílio. Um spa clínico… secreto.
    — Sozinho?
    — Vixe! Não. Reuni vários corpos… digo, pacientes, que estão como a gente… meio desconjuntados.

  3. — Então, poderia dar um jeito no meu olho esquerdo, também?
    — O que é que ele tem de errado?
    — É meio caído. É uma ptose exoftálmica.
    — PT… dose de quê? Veja bem, não sou “ofitálmo”.
    — Tenho horror à cirurgia, doutor! Não quero ser costurado…
    — Hum-hum… entendo. Não sou “sicólogo”, também, mas entendo bem o seu medo.
    — O que recomenda?
    — Por ora, meu amigo, que use esse maravilhoso colete.
    — Nossa! Me sinto melhor, doutor. Com a postura correta e indestrutível.
    — É óbvio, querido! É a prova de balas.

    Noite tenebrosa, com previsão de forte tempestade. Numa colina distante, o velho castelo dos Odebrechtenstein — clínica referência entre os spas reconstrutores — era iluminado por vários relâmpagos.

  4. Na torre medieval, três figuras sombrias envolviam-se em macabras armações.
    — Como pode o verme ser o herdeiro das maravilhas de um olho caído, um dedo decepado ou de um cérebro cunhado para o uso de um líder político? — recitava o ensandecido Doutor Inácio, com a agulha e linha nas mãos, enquanto se debruçava, fascinado, sobre o corpo todo costurado em tratamento estético no laboratório.
    O doutor pediu um apoio de ombro para sua secretária esteticista e massoterapeuta:
    — Rose, passe essas agulhas de ouro! Veja bem, temos que mexer nesse rosto, querida!
    — É, está meio sem elasticidade. textura e esse tônus da pele… tá um horror, doutor!
    — E o narizinho? Acabei de costurar. Gostou?
    — Meio feminino, mas… ficou bom. Os olhos é que não estão alinhados.

  5. — Foi coisa do meu assistente.
    — É por isso que estão meio fora de órbita?
    — Peraí, deixa eu ver… Sabotagem! Ele me paga!
    O paciente estava exposto a uma máquina que emitia ondas de radiofrequência sobre sua pele acinzentada, prometendo queimar a gordura em decomposição da cintura e da coxa para melhorar sua elasticidade.
    — Rose, não vi melhora alguma!
    — As olheiras? Não gostou da maquiagem?
    — Essa esfoliação com micro cristais e a aplicação de oxigênio, células ativas e colágeno não deram certo!
    — Paciência, doutor! Precisa de pelo menos sete sessões para perceber algum resultado.
    — Não temos mais todo esse tempo! A hora é agora.
    — Tratamento radical?
    — Sim! Prepare o paciente. Ligue os eletrodos!

  6. Ele foi até um painel. Pousou a mão sobre uma alavanca, um plugue elétrico conectado a um indicador de bateria. Diversos eletrodos estavam ligados a cabeça do “corpo”. Seria como acender uma lâmpada. Fixou o olhar na agulha do indicador de energia, que não se movia.
    — Em breve, todos os segredos elétricos do universo político serão meus! Só meus!
    Sua secretária, incontida na excitação do momento, perdeu a linha e a agulha:
    — Oh, Doutor… o senhor não é apenas um manipulador articular, você é um quase um…
    — Um Deus?
    — Lelé da cuca, completo!
    A atmosfera de alta tensão indicava a chocante atração entre polos opostos.
    O som de um forte trovão cortou o clima.
    Um novo relâmpago iluminou o rosto do velhote que olhava para o teto do laboratório:
    — Nestor? Apareça, seu caloteiro!

  7. O corcunda de olho caído, convertido a assistente do doutor para pagar sua estadia, desceu de uma pequena escada em espiral que vinha do telhado.
    — É melhor se apressar, Doutor! Acho que vai cair um pé d’água daqueles!
    — Fique ereto, querido! Cadê o seu colete?
    — Não lembra? O senhor confiscou. Resolveu cobrar junto com as diárias!
    — Bom… vá para o seu lugar, Nestor!
    — Sim, mestre!
    — Com a cabeça erguida! Sem rebolar.
    — Tô mancando, mestre. Cai da escada, duas vezes.
    — Rose? Me faça subir! Eleve-me, Rose!
    — Aqui e agora?
    — Suba a plataforma, depressa!
    Com esforço, a secretária virou a enorme roda da manivela, na parede. Lentamente.
    A plataforma subiu em direção a abertura no teto, erguendo o Doutor e o “corpo” pousado numa maca hospitalar.
    Raios, raios e trovões.

  8. O Doutor Inácio colocou seu boné e, com a voz rouca e embargada, resolveu aproveitar o palanque para um discurso fúnebre:
    — Herança maldita! Os antigos me prometeram mundos e fundos, imunidade e foro privilegiado e nada realizaram. Vamos penetrar nos recessos da natureza e da justiça. Vamos comandar os trovões do céu, abalar o fim do mundo com um terremoto de versões e mesmo zombar do mundo invisível dos conchavos políticos e das leis, com as suas próprias sombras!
    — Esta noite?
    — Sim, Rose… Dou minha palavra!
    — É o seu que está na reta. Vai fundo, mestre!

  9. A plataforma subia cada vez mais alto. Quase no telhado, a chuva começou a molhar a barba grisalha e o jaleco ensanguentado do Doutor.
    — Prepare-se, Nestor!
    A plataforma atravessou a abertura e depois estacionou no telhado. O velho quiroprata estava do lado de fora, ao ar livre, com olhar tresloucado voltado para as antenas de captação, no telhado.
    Um raio e um trovão!
    O Doutor estava encharcado. Tentava verificar o indicador de bateria ligado ao “corpo”.
    — Ligue! Acione o botão vermelho!
    Raios, raios duplos e trovões.
    Nestor acionou o primeiro interruptor. Faíscas de correntes elétricas, em curto-circuito, deixaram as setas dos mostradores desgovernadas.

  10. O Doutor, eufórico, ordenou do alto:
    — Acione o segundo interruptor, Nestor!
    — Esse cara é doido! – reclamou o assistente, com um quê de admiração.
    Trovões e relâmpagos em profusão.
    — Não é o suficiente. Preciso de mais energia! Tá escutando?
    — O quê?
    — Tá me ouvindo? Mais, seu zarolho!
    — Repete, se for homem!
    — Ligue o terceiro interruptor!
    — Tá ligado! Energia a 100%!
    — Assim, assim! — gritava o velhote com os olhos arregalados.

    Uma tremenda explosão estática luminosa percorreu todo o equipamento.
    O Laboratório se transformou em uma gaiola de Faraday, um grande show de efeitos especiais, com as faíscas de descargas de alta tensão, geradas pelas grandes bobinas, iluminando todo o ambiente.
    O espetáculo era aterrador e eletrizante, não necessariamente nessa ordem.

  11. — Tudo bem! Desliguem tudo e me desçam daqui!
    Ela girou a roda da manivela no sentido contrário. Nestor desligou os três interruptores.
    Todas as luzes voltaram ao normal, enquanto, sobre a plataforma, o doutor e o “corpo” desciam.
    Quando chegou ao chão, o doutor pingava, molhado da cabeça aos pés.
    Todos eles encaravam, tristes, o rosto congelado do “corpo”:
    — Nada! Ele não está respirando! — exclamou o doutor, consolado pelos dois assistentes.
    — Eu avisei: tratamento com creme antirrugas tem efeito lifting mais duradouro — disse Rose, esfregando um creme hidratante em suas mãos.
    Saíram juntos, derrotados, para a sala de reuniões. Na maca, o braço esquerdo, tatuado com uma estrela vermelha, permaneceu costurado no “corpo” deitado, imóvel.
    Sem testemunhas, um dedinho começou a se mover!

  12. Horas depois, na sala de reuniões o clima era de pesar:
    — Aham… vamos olhar mais uma vez, bicho!
    — Já fui até lá várias vezes, mestre! Não me martirize. Vai uma garrafinha?
    — Onde pegou isso, zoiúdo?
    — No seu frigobar.
    — Vou colocar na sua conta! Como pretende me pagar, hein, bebum?
    — Vou vender meu apê, tá certo?
    Várias garrafinhas do frigobar e minutos preciosos, depois:
    — Não posso ficar sentado!
    — Sossega, chefe! Quer um pouco de amendoim?
    — A justiça tá no meu pé e a eleição tá aí! Venha comigo, Nestor!
    Entraram cambaleantes no laboratório, sem grandes expectativas. O velhote, cientificamente bêbado, tomou o pulso do braço costurado ao “corpo”.
    — Frio! Mortinho da silva!
    — Não seja tão severo, consigo mesmo, mestre! A Petrobrás não foi destruída em um dia.

  13. Angustiado, o doutor inclinou-se e descansou a cabeça no peito do “corpo”.
    O doutor “horroris causa’ chorava baixinho.
    Sem que o assistente visse, o dedinho mínimo do “corpo” começou a acariciar a nuca do Doutor.
    — Não precisa me animar dessa forma, querido!
    — Bem, não gosto de ver seu sofrimento, mestre! Não é natural.
    — Cê tá certo, Nestor! Vou deixar minha autopiedade pra entrevistas, horário político e comícios.

    O dedo agora se movia com os demais, alisando a careca do velhote. Assustado, o doutor deu um salto para trás, atracando-se com a secretária na escada.
    O corpo do monstro, de repente, começou a se remexer violentamente, esforçando-se em escapar das correias e cintas de couro que prendiam sua cintura, coxas e pernas.
    — Cuidado, mestre!

  14. Abruptamente, o monstro levantou a cabeça e arrotou suas primeiras palavras.
    — Góooorp!
    — Cruzes, que hálito horroroso!
    — Ele está vivo! Vivo! Vejam isso… Eu derrotei a morte! O impeachment eterno!
    — Oh, doutor! Isso é tão gótico e bizarro! O senhor prometeu e cumpriu!
    — Contemplem a criatura! A minha obra híbrida!
    — Superou todas as expectativas, mestre. Até sua fama de doido varrido!
    — Pulmões, coração, cérebro… nós fizemos isso, Nestor!
    — Eu, hein? É tudo obra sua, doutor! Só costurei um… olho nele.
    — Ficou com a sua cara, Nestor!
    — Com esse narizinho escorrendo? Essa transposição é sua, mestre!
    O monstro deu outro arroto. A esteticista foi tomada por um sentimento maternal:
    — Arrotinho, chefe! Tem que dar tapinhas nas costas dele!
    — Sim, não quero que engasgue.

  15. — Não recomendo, mestre. O marmanjão pode matá-lo com um pum!
    — Tem razão… Rose, prepare um sedativo!
    A secretária correu para a caixinha de primeiros socorros e preparou uma injeção, um mata-leão. O monstro, então, sentou-se na maca e fez pequenos círculos com suas mãos, pedindo para ser solto das correias e tornozeleiras. Ofereceu até dinheiro.
    — Ele está tentando falar. Quer que a gente tire suas amarras. Vou soltá-lo!
    — Não caia nessa, mestre! Ele tem língua solta. Olhe lá…. ele tá até babando!
    — Mas ocê não vê? Tem um cérebro político, ardiloso e articulado, dentro desse monstrengo costurado.
    — Cuidado, mestre! Não pode dar trela prum monstro que não sabe nem falar! Pode delatá-lo, fácil.
    — Me acusaria do quê?
    — Uma conspiração para criar um poste, um morto-vivo!

  16. — Não seria a primeira vez. Vou arriscar. Eu fiz a cabeça dele. Todos para trás!
    O doutor cuidadosamente caminhou até o monstro, que o observava em silêncio:
    — Olá! Como é que vai?
    — Papa!
    — Sim. Papai vai te desamarrar! Consegue me entender?
    — Dã! Me dá um pê-pê?
    — O PP? Não é uma graça? Quer um partido pra chamar de seu.
    — Pepê de melão!
    — Ele quer é papinha de melão! Deu fominha, nenê?
    — Viu, mestre? Mal nasceu e o monstro já tá pedindo bola, com codinome da fruta.
    — E daí? O garoto tem personalidade!
    — Se fizer tudo que ele pede, ninguém se lembrará do senhor, só do monstro!
    — Te perdoo, Nestor! Pela sua notável falta de visão.
    — Veja, doutor! O lindinho tá fazendo força. Tá sem fraldão. E se for o número dois?
    — É pá-pum. Segura, menino! Rose, o sedativo, tá pronto?
    — Sim, chefe.

  17. — Antes, vou tentar adestrá-lo. Me passe o último orçamento do fundo partidário.
    — Que tal lhe dar um nome primeiro? Uma homenagem, talvez.
    — Júnior? Sim! Vamos chamá-lo de Júnior! O “homem novo” ressurgirá das cinzas!
    — É lindinho, chefe! Meio manjado e charlatão, mas é bonitinho.
    — O mundo desperto, que me rejeita nas pesquisas, se lembrará para sempre do nome do patrocinador!
    — Produto fora da validade, peruca loira, peludo, zarolho e com esse… narizinho, mestre?
    — Não importa a aparência, Nestor! É o que tá dentro, isso é que importa!
    — Oh, Doutor… o coração, é claro!
    — Não, Rose. É a cachola! Esse cérebro corrupto e manipulável implantado nele, que me interessa!
    — Por quê?
    — Júnior é candidatíssimo!

    Maldição! Raios, raios triplos e trovões.

  18. Dar vida à matéria morta ou dormente é um investimento que custa os olhos da cara e, se cavar fundo, pode levar as unhas, os anéis ou os dedos da mão. O mero barro, tratado como argila medicinal, recolhido na mão grande em pântanos, túmulos, criptas, covis e furnas, mesmo modelado e costurado — seja com a propina de estatais e o fogo da vida roubado do contribuinte através de um enorme fundo partidário para o financiamento público de campanha —, nunca transformará um vaso ornamental num político cosmético com rostinho sem espinhas, cravos e parafusos, aparentemente bem-intencionado.
    O caráter de um cérebro deformado não se esconde.
    Nem com muita maquiagem.

  19. Se não fosse uma tremenda farsa o heroísmo dos procuradores e do Moro, tão cantado em prosa e verso aqui nesta página, de falsa honestidade, Lula, a maior desgraça política produzida no país, estaria a muito na cadeia e o Brasil não estaria vivendo o pesadelo de ter de encarar novamente este monstro moral. A imprensa ideológica e a oportunista e representante do empresariado que não sobrevive sem o estado são, mais até do que os corruptos, responsável por este perigosíssimo momento nacional. Que país merece ser governado por Lula ou Bolsonaro? Que doideira!

  20. Isso não vai atrapalhar em nada o 9 dedos. Eles vão entrar com recursos e mais recursos, até que passe as eleições. Na verdade, o Lula já é ficha-suja, de certo modo, porque existe aquela lei que diz que não pode ter réu na linha sucessória, tanto que o Renan não pôde assumir o cargo de presidente quando a Dilma saiu… Ora, réu é réu, não importa em que foro, mas se é assim porque é que o Lula ainda insiste em ser candidato? Se ele não vai poder assumir? Ou será que eles pretendem também discutir este assunto no supremo ou, pior ainda, melar tudo, acabar com as instituições e implantar aqui uma ditadura de esquerda? Temo que esta última hipótese pareça ser a mais provável.

  21. Sujo ele já está desde o início do 2004. O povinho-zinho-zinho enganadinho-dinho-dinho se deixou levar pela lábia do safado que também traiu a mulher e, como troco e compensação, foi obrigado por ela a roubar mais, mais e descaradamente, expondo-se aos riscos que hoje são de conhecimento público. A tentativa de Janot de, junto com o aparelhado Supreme Trambiquario Fedemal, livra-lo, com Dilmaladra, da cadeia, parece, não deu certo e, por isso, esse braziu-ziu-zinho de _erdas, gis,
    velosos, buarques, rebelos e outros _ostas, vagabundos adoradores e aproveitadores dos impostos pagos por quem trabalha, idólatras da corrupção esquerdo-corporativa, afunda, afunda e afunda.

  22. Lula , tenho uma amiga que joga BUZIOS . Pedi a ela para jogar em seu nome , e ela me falou que seus caminhos estão truncados , travados , obstruídos por uma nuvem NEGRA . Será que é o que estou pensando ?

  23. Quando diz respeito ao Jararaca e depende do judiciário, só acredito depois de sacramentado. Não podemos esquecer que ele disse que o Judiciário é acovardado, foram 13 anos no poder, já imaginaram o que esse FDP! Ladrão não sabe dessa gente do STJ/STF. Pois é não vou soltar foguete antes da hora. Nosso Judiciário é CORRUPTO!

  24. É o que a sociedade honesta, que foram às ruas pelo impeachment de Dilma, está aguardando anciosamente que o SR Lula seja definitivamente condenado em segunda instância e vá cumprir sua pena, deixando de fazer arruaças por aí e tentando
    Enganar a população menos favorecida.

  25. O plano é simples… lançam a candidatura do molusco e um poste limpo como vice. Se der pro molusco, deu… se não der, o poste continua e concorre assim mesmo. O dificil é achar um poste que ainda não tenha se lambuzado dentro do partido.

  26. A Gleise “amante” Hoffman acha que o plano B é ela… E a torcida está esperando pra ver a mordida do jararaca na Gleise.
    Lula acha que ele é o PT, e o circo de “é golpe” é viável.
    Lula, em 2018 você estará na cadeia. e nós vamos eleger um bom candidato, certamente não do PT, PMDB ou PSDB.

    1. Antagonistas: Concordo. Mas as ‘medidas’ do governo tampão são um passaporte carimbado para a volta do PT. São ações orquestradas contra o cidadão comum, e a fv. de empresas, bancos, etc.

  27. Tem hora que o O Antagonista é uma piada. As 10.30 hs. de hoje em um post que comentava a redução das penas do Gim Arguello e do Leo Pinheiro, vocês lembravam, COM PREOCUPAÇÃO, que esta mesma turma iria julgar o caso Lula em 2018. Agora vocês soltam foguete pis eles mais que dobraram a pena do Vaccari e parecer que se acalmaram no caso Lula. Dá para explicar porque sofrer tanto por nada?

  28. Desde o começo a jararaca sabia que sua candidatura era inviável, mas foram dando corda, ele foi fazendo campanha, pegou o gosto e deu nisso, agora ele acredita que vai poder se candidatar.

  29. Por essa o “Adestrador e Encantador de Jugues(Lularapio)” e PTralhada não esperava. O que ficou ruim para o pilantra fanfarrão ainda pode piorar. Lularapio em 2018 no xilindró… Na Papuda.

  30. Eu gostaria muito que esse país se moralizasse, mas só acredito em Lula condenado pelo trf4 quando acontecer. vaccari é uma coisa e lula é outra o resto é só torcida e especulação.

  31. Esse pau de arara ordinário já era sujo na fase uterina. Se esse país não fosse uma republiqueta, o canalha já estaria recebendo o visita semanal da Rose Suburbana Noronha.

  32. Os Doutores, Vossas Excelências do TRF-4 poderiam liberar a sentença de condenação do Lularápio este ano. Tem casos mais emergenciais que precisam de prioridade. Que frescura é essa de todo processo ter de ficar um ano no forno? É só no Brasil mesmo!

  33. E Vacari roubou para um projeto de poder do partido, para Lula. Vacari não embolsou nenhum centavo roubado da Petrobrás para si, foi tudo para Lula e para o PT. Lula e o PT mandaram Vacari roubar. E não vai acontecer nada com o partido?

    1. Antagonistas: Acredita nisso? Enquanto a fogueira de S. João queimava, a irmã do Vacca viajou na calada a ‘paraísos fiscais’e, por isso, só atendeu citação da PF quando chegou. Por quê? Também é “INGENUA” ?

  34. LULA A CASA ESTÁ DESABANDO SOBRE SUAS MARACUTAIAS
    APRONTOU TUDO, EM TODAS ESTATAIS, SAQUEOU O ERÁRIO
    AGORA, TENS DE PAGAR, VELHO APEDEUTA.

  35. PREZADOS,

    VOCÊS ESTÃO INTERESSADOS EM ACABAR COM A ROUBALHEIRA DOS POLÍTICOS LATROCIDAS DE BRASÍLIA?
    DIA 15 DE NOVEMBRO VAMOS CLAMAR PELA INTERVENÇÃO MILITAR NAS PRINCIPAIS RUAS E PRAÇAS DE TODOS OS ESTADOS!
    CONCENTRAÇÃO DIA 15 DE NOVEMBRO! CHEGA DE BANDALHEIRA ASSASSINA POLITICA CORRUPTA! LEVEM CARTAZES PEDINDO:
    #INTERVENÇÃOMILITARJÁ
    QUEM DEVE TER MEDO DE MILITAR É BAAANDIIIIDOOOOO!!!

  36. Eles já sabem disso mas mesmo assim vão infernizar o processo. É a única coisa que sabem fazer. Estiveram no governo e destruiram o país social, moral e economicamente …. O que esse povo ainda quer, se não fugir da cadeia?

  37. SÓ NO BRASIL MESMO, GARY HART ERA UM CANDIDATO FAVORITO PARA OS EUA NO PASSADO, SÓ PORQUE SAIU COM UMA AMANTE DUAS DÉCADAS ATRÁS E DESCOBRIRAM, FOI DEFENESTRADO DE SUA CANDIDATURA.
    O LULADRÃO METEU A MÃO E DEU PREJUÍZO DE CENTENAS DE BILHÕES, PINTA E BORDA, TAÍ GOZANDO COM A NOSSA CARA.
    BEM QUE GEN. CHARLES DEGAULLE TINHA RAZÃO. ESTE NÇÃO É UM PAÍS SÉRIO.

    1. Lixo? Não …….amigo, lixo é reciclável…. Lula é bandido lesa-pátria…..merece fuzilamento….e jogar corpo ao mar…..pra petista safado não ir ao túmulo…

  38. Porque o TRF-4 tem de esperar um ano para soltar a condenação do Lula? Será que não enxergam a situação do país. É revoltante o que o judiciário faz com tantas postergações, vistas, habeas corpus, sentar no processo, empurrar com a barriga, anular fora o famigerado STF.

    1. O tecido mais podre do Brasil, purulento, mal-cheiroso, infeccionado é do poder judiciário.
      População armada até os dentes – eleição para delegado, promotor, desembargador e ministro do judiciário.
      Armada com fuzis de grosso calibre para cima…

    2. É vergonhoso o que fazem com o povo brasileiro nas mãos dessa elite do serviço público. Eles são pagos pela população e não são nossos patrões, quando vão entender isso? O judiciário tem de ser rápido.

  39. Com um supremo que temos, especialistas em passar perfume em merd@, não duvido nada que acabarão retirando a prisão em segunda instância, mantendo a liberdade de bandidos!

    #intervençãomilitarjá

  40. O Brasil só vai ser passado a Limpo de Fato quando o Bandido Condenado Nove Dedos estiver na Cadeia ,chega de Ipunidade que só passa mau exemplo para a nossa Juventude , que o Crime compensa no Brasil, pois até Bandidao pode ser presidente do Nosso Brasil, Fim a Impunidade e Cadeia nos Corruptos.

  41. Gostaria de ter o otimismo de todos que me antecederam, bem aqui. Mas não se pode menosprezar o tamanho da bandalha que é esse país. Vejam que para 2018, o PT e o PMDB já estão se beijando na bund@.

  42. Aos poucos, como boa pescadora, a Justiça Brasileira vai colocando os “peixões petistas” no saco, isto é, na cadeia e com penas proporcionais aos roubos praticados. Força Brasil!!

    1. Carlota , eu como brasileiro , apesar de tudo essa patifaria que tem em nosso país , eu amo meu o chao que nasci , adoro o Brasil , eu nao tinha muita esperança que a justiça um dia no Brasil seria feita contra os bandidos de Colarinho Branco , mas com o inicio da Lava Jato , com a Policia
      Federal ,seus procuradores , e especialmente com Sergio Moro e agora com Bretas , que ja mandaram muita gente GRANDE para a prisao , eu tenho certeza que nosso pais esta tomando um novo rumo , acredito que logo que o articulador de toda essa maracutaia , chamado Lula seja preso , outros corruptos pensarao varias vezes ANTES de dar o golpe no povo , que fique bem claro , o PT nao inventou a corrupção , ela ja vem desde o tempo de Dom Pedro , só que o PT Exagerou na corrupção.

  43. Ainda bem que o TRF4 esteja mostrando ao País qual a linha que vem sendo adotada no julgamento dos processos da Lava Jato. Queremos ver STF ter a coragem de querer passar panos quentes nestes corruptos. No caso do PT estão insuflando o MST a atos de terrorismo explícito para intimidar a sociedade e o judiciário, tal estratégia é muito burra pois estará criando os motivos necessários a intervenção militar. Não se deram conta que o Lula está acabado e não tem mais o comando das FFAA.

    1. descabelando o que ?? o boneco ?? não se esqueça é a Coxa Amante, ou Amante Coxa seja lá o que isso quererá dizer. Mas nós já temos uma noção. ahahahahahahahahahahah