Surgem os ministros (as) arrependidos (as)

A reação negativa ao fatiamento da Lava Jato já fez alguns ministros e ministras reavaliarem sua posição — e um novo debate no plenário do STF, eventualmente provocado por embargos da PGR, pode ter resultado diferente.

Para esses “ministros arrependidos”, a questão parece agora bem maior do que era quando foi aventada por Dias Toffoli.

Consolida-se a ideia de que o debate sobre a competência do juízo do inquérito da Pixuleco II – uma das fases da Lava Jato – merece reflexão especial e nunca poderia ter sido tratado de forma banal, numa sessão apressada apoiada num voto torto de Dias Toffoli e na obscura teoria da higienização de Ricardo Lewandowski.

Estamos falando de uma organização criminosa de atuação transnacional, e não de ladrões de galinha.

200