ACESSE

As suspeitas da Folha sobre as transações de Flávio Bolsonaro

Telegram

A Folha noticia que Flávio Bolsonaro realizou de 2012 a 2014 operações “relâmpago” de compra (a R$ 310 mil, em 2012) e venda (a um total de R$ 1,12 milhão, em 2013 e 2014) de dois imóveis em Copacabana “com características consideradas suspeitas de lavagem de dinheiro” e que “as transações lhe renderam um lucro equivalente a 260% no período” (R$ 813 mil).

Consideradas suspeitas por quem?

A resposta vem no sétimo parágrafo da matéria, depois de um gráfico sobre os valores:

“A dinâmica das operações, porém, é considerada suspeita, segundo resolução do Cofeci (Conselho Federal de Corretores de Imóveis). A entidade determina que seja comunicado ao Coaf (Conselho das Atividades Financeiras) negociações com ‘aparente aumento ou diminuição injustificada do valor de imóvel’.”

No oitavo parágrafo, no entanto, o jornal registra:

“A resolução em que consta a determinação é de outubro de 2014, posterior às vendas realizadas por Flávio, motivo pelo qual possivelmente não foram comunicadas ao Coaf.”

Nono:

“A queda repentina de valor de imóveis é alvo de suspeitas dos órgãos de controle porque podem encobrir um possível pagamento não declarado (fora dos registros oficiais), o que caracteriza a lavagem de dinheiro. Não há elementos adicionais para indicar que isso tenha ocorrido nas transações feitas pelo filho do presidente.”

Caso Flávio Bolsonaro: o que se sabe e o que ele pode esclarecer

Um caso está tirando o sono de muitos eleitores do Bolsonaro. Se você é um deles... SAIBA MAIS AQUI

Comentários

  • Ricardo -

    Só tem palhaço medíocre na imprensa.

  • Candida -

    Operação casada se faz habitualmente até qdo se tem dinheiro mais ou menos curto. Tem venda e compra quase simultânea.

  • Gnu -

    Os Antagonistas podiam passar a se chamar Renê !............O Rei dos gols contra na década de 70

Ler 337 comentários