Suspeito de invadir celular de Moro teria abusado de adolescente em 2015

Em 2015, Walter Delgatti Neto, preso ontem por suspeita de invadir o celular de Sergio Moro, foi acusado por uma adolescente, menor de idade à época, de tê-la dopado, fazer sexo com ela, filmar tudo no celular e em seguida mostrar o vídeo a seu irmão, que era namorado da garota.

A história foi contada pela adolescente em março daquele ano na delegacia de Araraquara, que registrou tentativa de estupro e, no caso do irmão, Wisllen Francisco Delgatti, ameaça e lesão corporal contra ela.

Após ver o vídeo, Wisllen teria aparecido na casa da adolescente, e segundo relato dela, tentou enforcá-la, bateu sua cabeça contra a quina da parede, deu-lhe um soco na boca e um chute nas pernas. Levada por ele à casa da avó dela, onde sua mãe se encontrava, foi novamente ameaçada na frente da família.

O relato levou a polícia a fazer uma busca na casa de Walter em abril, onde foi flagrado com medicamentos de uso controlado, receitas médicas e uma carteira de estudante de medicina da USP falsas. Ele foi preso e depois denunciado por tráfico de entorpecentes.

No mesmo dia da prisão, a adolescente apareceu na delegacia e mudou sua versão. Disse que fez sexo espontaneamente, para se vingar de Wisllen, e que este também não teria a agredido. As lesões seriam de uma briga ocorrida antes.

A delegada que a ouviu registrou que ela “aparentava estar bastante preocupada e com pressa em mudar sua versão dos fatos”.

EXCLUSIVO — TOFFOLI: A DECISÃO... E A COINCIDÊNCIA
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 29 comentários
TOPO