Tabata reage a veto de Bolsonaro à vacinação prioritária de professores

Tabata reage a veto de Bolsonaro à vacinação prioritária de professores
Foto: Divulgação/PDT

Como noticiamos há pouco, Jair Bolsonaro vetou o trecho de uma Medida Provisória que obrigava a Anvisa a aprovar em cinco dias o uso emergencial de qualquer vacina autorizada por reguladores estrangeiros.

O presidente também vetou o trecho de MP que previa a inclusão de professores e outros profissionais da educação nos grupos prioritários da vacinação.

A deputada Tabata Amaral (PDT), autora da emenda sobre os professores, disse a O Antagonista:

“A vacinação dos profissionais da educação é mais um passo importante para garantir a continuidade das atividades escolares, que é uma atividade essencial, mas parece que o Governo Federal não se importa com isso ao vetar a emenda que apresentei à MP 1003 que assegura a priorização dos professores no plano de imunização.”

Ela acrescentou:

“O ministro Pazuello declarou publicamente, em fevereiro, que ia realizar uma adaptação no Plano Nacional de Imunizações (PNI) para incluir os professores o mais rápido possível na vacinação, já a partir de março. Não é o que vimos acontecer com esse veto publicado hoje pelo presidente Jair Bolsonaro. Cerca de 5,5 milhões de crianças e adolescentes não tiveram acesso à educação no ano passado e os índices de evasão escolar e desigualdade educacional continuam crescendo em níveis alarmantes.”

Leia mais: Enquanto dezenas de países do mundo já iniciaram a vacinação contra a Covid-19, o Brasil patina entre duas vacinas.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO