TCU envia relatório sobre irregularidades no coronavoucher à PGR

O TCU decidiu enviar à PGR e ao Congresso o relatório da auditoria do tribunal que viu indícios de fraudes no pagamento de R$ 42,1 bilhões de auxílio emergencial para que tomem providências. A decisão foi unânime.

Segundo o voto do ministro Bruno Dantas, relator, o Ministério da Cidadania não foi capaz de fiscalizar o pagamento do benefício.

Isso fez com que 6,4 milhões de pessoas recebessem R$ 23,7 bilhões sem ter o direito e outros R$ 18,4 bilhões fossem pagos de maneira irregular a mães erroneamente cadastradas como chefes de família, conforme noticiamos mais cedo.

Ao mesmo tempo, disse Bruno Dantas, 3,3 milhões de pessoas que estão entre os elegíveis para receber o auxílio emergencial não receberam o benefício.

A auditoria do TCU também constatou que 4,8 milhões de pessoas receberam o auxílio emergencial de R$ 600 descumprindo a regra de pagamento a apenas dois membros por família.

A recomendação do tribunal foi para que a Cidadania, chefiada por Onyx Lorenzoni, adote outro sistema de fiscalização e atualize seus cadastros todo mês. E para que o governo integre seus bancos de dados com o cadastro do SUS.

Leia mais: 'Crusoé' revelou pagamentos da JBS ao advogado de Bolsonaro e a participação do presidente em operação em favor do grupo dos irmãos Joesley e Wesley Batista. E os repórteres seguem investigando
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 11 comentários
TOPO