ACESSE

TCU investiga compra de aparelho de gravação pela força-tarefa

Telegram

O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União, abriu investigação sobre a compra de equipamentos de gravação telefônica pela força-tarefa da Lava Jato no Paraná.

Ele se baseou na suspeita — levantada pela Procuradoria-Geral da República — de que os procuradores grampeavam clandestinamente conversas telefônicas.

Na semana passada, a coordenadora da Lava Jato na PGR, Lindôra Araujo, a pedido de Augusto Aras, mandou uma equipe técnica inspecionar os equipamentos em Curitiba.

Em ofício à Corregedoria do MPF, Deltan Dallagnol disse que o equipamento foi comprado em 2016 para registrar ameaças a membros e servidores da força-tarefa.

Bruno Dantas resolveu ir além: requisitou informações de todas as compras de equipamentos de gravação pelo órgão pelo MPF em todo o país nos últimos 10 anos.

“A análise da questão exige a obtenção de mais informações, o que pode ser feito via diligência pela unidade instrutora”, afirmou o ministro.

Bruno Dantas está hiperativo contra a Lava Jato.

Leia mais: O combate à corrupção parece estar sob ameaça mais uma vez no Brasil. Clique aqui para ler na íntegra

Comentários

  • Joe -

    Devia investigar as do Renan tb.

  • PAULO -

    Fazer oque ? Os ladrões continuam no poder desse país.

  • Ana -

    O Tribunal faz de Conta parece que não tem o que fazer.

Ler 106 comentários