Teatro do absurdo

Rodrigo Janot alega que o deputado Arthur Lira adotou medidas protelatórias para arrastar, por um ano, o inquérito em que é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

A defesa de Lira alega que não teve acesso integral a provas de um HD, que estaria protegido por senha. Para Janot, a alegação é furada. Enquanto isso, Teori Zavascki assiste a tudo calado.

Quem acredita que o STF julgará 200 políticos?

Faça o primeiro comentário