Tebet contra o impeachment

Tebet contra o impeachment
Redes sociais

Nesta segunda-feira, os maiores jornais do Brasil publicaram entrevistas com Simone Tebet.

Em todas elas, a candidata do MDB ao comando do Senado fez questão de torpedear o impeachment de Jair Bolsonaro.

Folha de S. Paulo:

“Como senadora, entendendo que o processo de impeachment é político antes de ser jurídico. Eu entendo que ainda nós não temos ruas, não temos apoio popular para abrir qualquer processo de impeachment.”

Estadão:

“Não existe impeachment no Brasil sem rua, manifestação popular e vontade da população. A maioria da população, talvez pela preocupação com o sistema de saúde e atraso de vacinação, é contra. Não analisei juridicamente os pedidos. Neste momento, o impeachment não tende a prosperar. Qualquer análise de possível crime eu deixo para o Ministério Público e o Judiciário em uma discussão sobre crime comum.”

O Globo:

“Como é uma casa política, o que a Câmara tem que analisar e levar em consideração é a vontade popular, se nós temos manifestações fortes e contundentes. O que eu vejo é que temos uma contaminação das manifestações das ruas pelo colapso do sistema de saúde, o medo de que a vacina não chegue a tempo aos nossos familiares, a falta de uma vacina tem levado a população a demonstrar essa insatisfação. E essas manifestações devem ser levadas em conta, mas as pesquisas ainda mostram que a maioria das pessoas não quer impeachment.”

Isso não é verdade.

O Atlas Político, que deu uma surra no Datafolha nas disputas municipais, mostrou (em pesquisa publicada em primeira mão por O Antagonista) que a maioria dos brasileiros é favorável ao impeachment de Jair Bolsonaro: 53,6% contra 41,5%.

 

Leia mais: O impeachment de Bolsonaro entra na agenda.
Mais notícias
TOPO