Temer deixará 50 projetos de privatizações para próximo presidente

Caberá ao próximo governo decidir sobre mais de 50 projetos do pacote de privatizações do governo de Michel Temer prometidos para 2018, segundo o G1.

Eles não sairão do papel em 2018 em razão de atrasos, dificuldades burocráticas, baixa atratividade e incertezas políticas e econômicas.

“Entre os projetos que passaram a não ter mais data prevista estão as privatizações da Eletrobras, da Casa da Moeda, da CASEMG e da CeasaMinas; a venda da participação da Infraero nos aeroportos de Guarulhos, Brasília e Confins; a concessão da Lotex, além de mais de 30 empreendimentos na área de rodovias, ferrovias e terminais portuários.

O número de projetos que não sairão do papel neste ano pode crescer porque parte dos leilões não tem nem data marcada e muitos ainda aguardam aprovação do Tribunal de Contas da União. Há dúvidas também sobre o interesse de investidores, uma vez que algumas das licitações ocorrerão em meio a eleições e transição de governo.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Conforme professa Paulo Guedes: tem que Privatizar tudo!! Tem que quebrar as pernas dos corruptos e comunistas e impulsionar o Brasil para o Futuro de nossos Filhos e Netos. Viva Bolsonaro/Mourão 17

Ler mais 18 comentários
  1. Conforme professa Paulo Guedes: tem que Privatizar tudo!! Tem que quebrar as pernas dos corruptos e comunistas e impulsionar o Brasil para o Futuro de nossos Filhos e Netos. Viva Bolsonaro/Mourão 17

  2. Se Temer não fosse um “sem moral”, para dizer o mínimo, teria conseguido avançar com as reformas (tão) necessárias. Espero que, no próximo ano, tenhamos alguém com a legitimidade necessária

  3. Todas as corporações dos previlegiados DETONARAM o Temer, incluindo os congressistas…, pois teve a coragem de enfrenta-los…, sempre serei grato ao Temer por ter eliminado a máfia da CUT.

  4. O Antagonista deveria agradecer este atraso à tentativa fracassada de golpe de estado de Rodrigo Janot, Joesley Batista e outros, na qual entrou. E o adiamento da reforma da Previdência, também…