Temer diz que problema no Mais Médicos não será passado para Bolsonaro

Em vídeo postado no Twitter para comemorar a adesão de 8,2 mil brasileiros ao Mais Médicos, Michel Temer fez questão de lembrar que o problema das vagas deixadas pelos cubanos foi resolvido em seu governo.

“Vejam que nós não vamos deixar esse problema para o próximo governo. Estamos resolvendo neste momento um problema que angustia toda a população”, disse o presidente, ao lado do ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

A ditadura cubana rompeu o Mais Médicos porque Bolsonaro prometeu abrir a caixa-preta do BNDES. MAIS AQUI
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO