Temer e Bolsonaro: sugestão de impedir reajustes é recíproca

Telegram

O ministro do Planejamento do governo de Michel Temer, Esteves Colnago, entregou a Paulo Guedes 15 documentos com diagnósticos e propostas para o novo governo tentar resolver a crise nas contas públicas, informa O Globo.

A principal sugestão é de que Jair Bolsonaro edite um decreto presidencial, dias depois da posse, para impedir reajustes e correções em programas. Propõe-se ainda mexer no seguro-desemprego, Fundeb e no piso salarial dos professores. Outra recomendação é passar a desvincular recursos inclusive das áreas sociais para ter liberdade para gerir o dinheiro.

“O órgão alerta: se nada for feito, em três anos, as despesas obrigatórias – como o gasto com pessoal – consumirão 98% de todo o orçamento do governo e não sobrará recursos para investir e diminuir a dívida pública.”

O Senado mandou uma "continha" extra de R$ 6 bi para você pagar. Quem vai defender VOCÊ?

A reportagem não menciona, mas vale lembrar que Michel Temer poderia vetar o aumento salarial dos ministros do STF, como Bolsonaro disse que faria se já fosse o presidente.

A sugestão de impedir reajustes serve para ambos os governos.

 

Comentários

  • José -

    Acabem com o FGTS e a CLT de quem vai ingressar no mercao de trabalho....

  • Marcelo -

    Capitão: não é, por exemplo, cortando apenas 30% dos cargos em comissão do governo federal que se resolve o problema. Não descumpra as promessas de campanha .Tem muito 100% a ser cortado por aí.

  • Ana -

    Vixi, mexer com salário desemprego e teto de professor é dar a faca e o queijo para o inimigo. Não tem outra gordura pra cortar?

Ler 41 comentários