Temer é passageiro

Os advogados de Michel Temer vão alegar ao TSE que ele “não pediu dinheiro nem esteve presente em nenhuma negociação de doações para a campanha eleitoral de 2014, encabeçada por Dilma Rousseff”, diz a Folha de S. Paulo.

E também:

“Assessores de Temer argumentam nos bastidores que, em tese, uma pessoa que está sentada no banco do passageiro não pode ser multada por infrações cometidas pelo motorista. Ou seja, Temer não poderia ser responsabilizado por supostas irregularidades cometidas por Dilma, a cabeça da chapa.

Os depoimentos de ex-executivos da Odebrecht ao TSE, incluindo o do ex-presidente Marcelo Odebrecht, que tiveram início na semana passada, dão força para a nova tese, na avaliação dos advogados do presidente”.

A defesa, segundo a reportagem, está sendo elaborada pelo próprio Temer:

“Temer tem participado pessoalmente da formulação da estratégia de sua defesa. Antes de viajar para a Bahia, onde passou o feriado de Carnaval com a família, o presidente se reuniu com assessores e advogados”.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200