Temer hackeado

Um grupo que se diz anarquista, apartidário e que defende a pena de morte para os políticos assinaram o “ataque virtual” ao site de Michel Temer na manhã deste sábado.

“Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que dinheiro não se come. Eu quero pena de morte pra quem tá no Congresso, vocês que deveriam responder por crime hediondo”, dizia trecho da página hackeada, que já saiu do ar.

O Palácio do Planalto avisou que não fará nada porque o site é pessoal, atualmente administrado pelo PMDB.

Reprodução da página hackeada