Temer quer governo de “união nacional”

O Antagonista, ontem à noite, publicou:

Michel Temer e Eduardo Cunha se encontraram há dois dias. Desde então, o vice-presidente intensificou os seus movimentos políticos, rompendo o seu estilo mais reservado.

Michel Temer, inclusive, almoçou com José Serra, Tasso Jereissati, Aloysio Nunes, José Agripino, Moreira Franco e Ricardo Ferraço. O prato principal foi o impeachment de Dilma Rousseff.

Josias de Souza, hoje, deu outros detalhes sobre o encontro:

“Horas antes do anúncio da abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff, Michel Temer recebeu para o almoço, no Palácio do Jaburu, cinco lideranças da oposição: Tasso Jereissati, Aloysio Nunes Ferreira e José Serra, todos do PSDB; José Agripino Maia, do DEM; e Fernando Bezerra Coelho, do PSB. Os visitantes foram conversar sobre impeachment. Ouviram do anfitrião a defesa de um governo de ‘união nacional’.

Durante a conversa, Temer defendeu a tese segundo a qual ‘é preciso reunificar o país’ — com Dilma ou com quem vier depois dela. Lembrou que vem falando em “pacificação nacional” há mais de dois meses.

Um dos oposicionistas quis saber se Temer disputaria a reeleição na hipótese de o destino lhe entregar a cadeira de Dilma. Ao relatar a conversa a um amigo, Temer declarou algo que os representantes da oposição queriam ouvir. Se por acaso virar presidente, não ousará reivindicar a reeleição”.