Temer vai sangrar mais

A reunião, nesta manhã, entre Rodrigo Pacheco e representantes dos partidos para discutir a tramitação da denúncia contra Michel Temer não foi boa para o presidente, que queria liquidar essa fatura antes do início do recesso parlamentar, em 18 de julho.

Pacheco, que preside a CCJ, reconheceu que, se necessário, os trabalhos poderão se estender até agosto, “até que possa ser garantido este rito transparente, este rito democrático na CCJ”.

Faça o primeiro comentário