'Temos a liberdade de discordar de Moro?', reclama deputado

Telegram

Em reunião do grupo de trabalho do pacote anticrime –que está desidratando a proposta de Sergio Moro–, Fábio Trad se queixou da “dificuldade de discordar” do ministro da Justiça, informa a Coluna do Estadão.

“Não é fácil discordar do ministro Moro. Isso é para poucos. Porque o ministro Moro é uma usina de emoções (…). Ele encarna hoje valores que também nós queremos consolidar e fortalecer”, afirmou o deputado do PSD de Mato Grosso do Sul.

Trad afirmou ainda que Moro nem sempre está com a melhor “razão jurídica”, e com isso os deputados se encontram em um dilema.

“Temos a liberdade de discordar dele? Podemos fazê-lo? Porque caso contrário, nós vamos aqui, enquanto Parlamento, ficar sempre (…) com aquela ameaça: ‘Faça sempre como o ministro Moro, caso contrário a opinião pública vai te açoitar’. E a independência do Parlamento fica comprometida.”

Comentários

  • Antonio -

    Estamos numa democracia e com certeza não é aquestar de descordar, mas o de favorecer, aliviar ou usufruir fds função em favor proprio ou a corrupcao que nos desagrada. Chega de corrupcao e mordom

  • Clarisa -

    PSD votou em peso a favor do Fundo Eleitoral, que propõe o uso de dinh público na contratação de advogados que defendam parlamentares encrencados. E se sente ofendido em não poder discordar de Mo

  • PAULO -

    Não é o caso de discordar de Moro é o caso de discordar da população brasileira que está com Moro. Discordar de Moro é favorecer os criminosos. Alguma coincidência com o congresso?

Ler 170 comentários