"Temos as provas"

Telegram

Marcos do Val (PPS-ES) afirmou a O Antagonista que decidiu sozinho apresentar o pedido de impeachment de Gilmar Mendes, depois que a CCJ votou pelo arquivamento da CPI da Lava Toga.

“Esse é mais um plano B caso o arquivamento da CPI se torne um fato. Mas não foi uma coisa na correria, já havia estudo desde que a sociedade nos demandou isso”, disse, acrescentando que o documento foi redigido com uma equipe jurídica renomada.

Com poucas páginas, o pedido se limitou a apontar três fatos que configurariam crimes de responsabilidade: atuação político-partidária e suspeição para soltar, em 2017, Jacob Barata Filho, o rei do ônibus, e o empresário Eike Batista.

Os grampos que ligam Joesley, da JBS, com os poderosos de vários partidos. LEIA AQUI

“São três casos em que temos as provas e vão ser entregues no momento que for solicitado. Para o pedido, bastava uma acusação”, disse o senador.

Cabe agora ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidir se admite o pedido e abre o processo, durante o qual o ministro poderá se defender.

A perda do cargo e inabilitação para função pública por 8 anos depende da aprovação de pelos menos 54 dos 81 senadores.

Comentários

  • Daniela -

    Vamos derrubar Gilmar Mendes! Nós podemos!

  • Paulo -

    Com esse senado acovardado não sai nada...

  • Xavier -

    Apoiado!

Ler 57 comentários