Presidente da CAE confirma que tendência no Senado é "fatiar" e adiar PEC Emergencial

Presidente da CAE confirma que tendência no Senado é “fatiar” e adiar PEC Emergencial
Foto: Adriano Machado/Crusoé

O senador Otto Alencar (PSD), novo presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, confirmou a O Antagonista que a PEC Emergencial não será votada hoje no plenário, como se previa. Ontem, já havíamos antecipado esse movimento.

“Hoje pode iniciar a discussão, mas não vai deliberar a matéria.”

Como reforçamos mais cedo, há muitas divergências entre os líderes.

“Na PEC, o que é urgente é aprovar o retorno do auxílio emergencial. O restante deverá ser uma longo debate, pois envolve vários pontos polêmicos, como gatilhos e extinção de subsídios.”

Alencar acrescentou que a tendência, portanto, é “fatiar” a PEC Emergencial.

“Tem essa tendência de fatiar. O que não dá mais é para os que precisam do auxílio continuarem sem o benefício.”

Um assessor parlamentar disse a este site que a maior parte dos líderes já topa o fatiamento da PEC. “Acham muito difícil votar o bolo todo. Os senadores estão indo atrás de saídas que viabilizem a aprovação de parte do texto.”

A mudança no cronograma não agrada Rodrigo Pacheco, que havia feito um acordo com Arthur Lira para tentar aprovar a PEC como um todo ainda nesta semana.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO