ACESSE

Tensão na PF: delegada que apura atos antidemocráticos é transferida

Telegram

A saída da delegada Denisse Ribeiro do cargo que ocupava na Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF e sua ida para a Superintendência da PF no Distrito Federal geraram um estresse incomum na cúpula da corporação nos últimos dias, relata Fabio Serapião na Crusoé.

Denisse é responsável por dois inquéritos muito sensíveis para Jair Bolsonaro. Um deles, presidido por Alexandre de Moraes, é o que apura a existência e o financiamento do “gabinete do ódio” no Palácio do Planalto.

O outro busca descobrir quem banca os atos antidemocráticos organizados por militantes bolsonaristas que deram origem a crises entre o Executivo e os demais Poderes.

Leia AQUI a íntegra da reportagem.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 167 comentários