Teori homologa ‘delação bomba’ contra Dilma e Lula

A Época informa que Teori Zavascki homologou a delação de Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete de Delcídio do Amaral.

Ele confirmou as tentativas de Dilma e Lula para tentar sabotar a Lava Jato.

“Segundo a decisão do ministro, Ferreira confirmou que foi informado sobre o teor da conversa entre a presidente Dilma e Delcídio, em que a petista revelou ao senador a intenção de indicar o advogado Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). O objetivo seria atrapalhar a Lava Jato e proteger os executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, conforme revelou Delcídio em sua delação, homologada em março. A participação do atual ministro da Advocacia-Geral da União, à época ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também é citada no documento.

Na delação, Ferreira também complicou ainda mais a situação do ex-presidente Lula e do filho do pecuarista José Carlos Bumlai, Maurício Bumlai, trazendo ambos para o centro das tentativas de impedir a delação do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Ele relata ter participado de encontros com Maurício, de quem recebeu dinheiro para ser entregue à família de Cerveró. Foram três entregas de R$ 50 mil feitas por meio do advogado de Cerveró, Edson Ribeiro — todas em São Paulo. Ferreira apresentou como provas algumas trocas de mensagem de áudio e WhatsApp, combinando o local das entregas. Segundo a delação de Delcídio, Lula seria principal articulador da estratégia de ‘comprar o silêncio’ de Cerveró.”

18 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Inacreditável a capacidade do PT de se auto-afundar. Faz lembrar uma cena antológica do cinema, em que o “cavaleiro negro da floresta” decide, por pura arrogância, não deixar um dos cavaleiros do Rei Artur passar pela floresta. Ambos sacam suas espadas e entram em combate, até o Cavaleiro Negro ter uma de suas pernas cortadas fora. Mas não desiste. A luta continua e seu braço é cortado fora. Depois outro perna, por fim o último braço. Restando apenas seu tronco, o Cavaleiro Negro admite um “empate” (Monty Python, 1975). Isso é o PT: uma comédia de humor negro.

  2. Pois é…MAM negou a liminar porque sabe que Temer tem situação diversa de Dilma…mas, eles tentam de tudo…acho que no meio da sessão vão pedir a suspensão porque não ouviram o voto de alguém…coisa de louco.

  3. Como vice-presidente(a maioria dos países nem tem a figura do vice-presidente por causa disso), Temer agia como mero despachante na ausência da titular. Não haveria como interferir no governo, nem seria ético. Mas, mesmo que houvesse uma comissão de impeachment para Temer, este teria uma defesa diversa. Não haveria dolo seria a alegação primeira. Não há como correr no mesmo processo pessoas que agiam em situações diferentes. Se o primo do Collor acatar isso, haverá uma gritaria geral dos juristas brasileiros. Acho que até o STF o chamaria de louco.

  4. É isso aí. Palhaçada. VAMOS PARA AS RUAS HOJE. É tudo ou nada. Não vamos confiar em listas ou entrar em clima de “já ganhou”. O fator decisivo será a pressão das ruas até o último voto.

  5. Ô zé…cabe a Cãmara proceder a autorização de impeachment. Qualquer coisa contra Temer teria que passar por nova comissão e, penso eu, mesmo que fosse obrigada a aceitar o pedido, este deveria ter sido feito antes. Agora, no STF, MAM, perde também nesta questão, porque é papel do Legislativo. Ficou claro isso na última sessão.

  6. Já esperava algo assim. Mas, o pedido é absurdamente inconsequente. Trata-se de mera AUTORIZAÇÃO. Papel constitucional do Legislativo. Nova autorização, contra outra pessoa, exigiria nova denúncia e prazos subsequentes. Completamente sem procedência. Perderia de 10 a 1 no plenário e acirra os ânimos a favor do impeachment. O país entra em convulsão. O homem que prega tanto a calma, não irá querer ser o responsável por uma convulsão social. Pediu mal o autor.

  7. Os AntasGolpistas são tão presunçosos que acreditam poder influenciar na decisão do Marco Aurélio. Gilmar Mendes usurpou então a competência do executivo quando impediu a posse de Lula?