Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Batendo cabeça, Terceira Via rejeita ideia de manifesto por candidatura única em 2022

A ideia era já ter divulgado um documento assinado por lideranças do 'centro', com o compromisso de apoio a um único nome mais à frente
Batendo cabeça, Terceira Via rejeita ideia de manifesto por candidatura única em 2022
Reprodução/Twitter/Radio Itatiaia

A Terceira Via está refém da vaidade e dos projetos pessoais e partidários de boa parte de suas lideranças.

O Antagonista apurou que, nos últimos dias, surgiu internamente no grupo a proposta de eles divulgarem um manifesto se comprometendo com uma candidatura única.

A ideia, que ganhou força após o fiasco de público nas manifestações de 12 de setembro, era divulgar um documento deixando claro para o eleitorado que o grupo está disposto a se unir em torno de uma candidatura, seja lá qual for o nome escolhido.

Quase ninguém topou.

O argumento foi o mesmo de sempre dos que não querem escancarar unidade agora: o de que, primeiro, é preciso esperar algum nome alcançar os dois dígitos nas pesquisas e, enquanto isso, deixar cada um tocar o seu barco.

“Isso não faz sentido. Podem fazer quantas pesquisas quiserem: ninguém vai chegar a dois dígitos sem o compromisso de unidade lá na frente. E lá na frente não vai ser possível. A gente está confiando demais no veneno e o Lula vai ficando, cada vez mais, com cara de moderado”, afirmou uma liderança do grupo, em reservado.

Em março, seis presidenciáveis divulgaram um manifesto em defesa da democracia. A intenção, na época, era que aquele gesto fosse somente um primeiro nesse sentido de unidade. Mas nada aconteceu de lá para cá, além de reuniões e mais reuniões. Ainda em abril deste ano, Mario Sabino escreveu o artigo O perigo é Lula virar o Polo Democrático”.

O PDT não abrirá mão da candidatura de Ciro Gomes, que tem como marqueteiro o ex-petista João Santana. O PSDB está com prévias marcadas para o fim de novembro. O DEM e o PSL, que pretendem se fundir nas próximas semanas, juram que terão candidatura própria. O MDB pode lançar a senadora Simone Tebet. O Cidadania apoiou a pré-candidatura do senador Alessandro Vieira.

Mais notícias
TOPO