ACESSE

Todos os alvos da Operação Pentiti

Telegram

A 64ª Operação da Lava Jato, de nome Pentiti, mirou sete pessoas em 12 mandados de busca a apreensão, expedidos pela juíza Gabriela Hardt.

Veja quem são:

1- André Esteves, presidente do BTG Pactual, é investigado por duas frentes: pagar propina para a campanha presidencial de Dilma para ter vantagem na exploração do pré-sal e consolidar o relacionamento de seu grupo econômico com o PT; e por ter sido favorecido na compra de ativos da Petrobras na África pelo subfaturamento na venda.

2- Graça Foster, ex-presidente da Petrobras, é investigada por direcionar eventuais cobranças por recursos das empresas contratadas para os interesses do PT. A venda de ativos da Petrobras na África para o BTG pactual é o principal objeto de apuração do MPF e da PF.

3- José Roberto Batochio, advogado e ex-deputado federal, é investigado por receber propina da Odebrecht no valor de R$ 1 milhão. Seu nome estava na planilha “Italiano” da empreiteira, e há a suspeita de que haja relação com a “conta corrente geral de propinas” mantidas pela Odebrecht com o PT.

4- Branislav Kontic, aliado de Antonio Palocci, é investigado por assessorar o ex-ministro e delator na interlocução de assuntos ilícitos junto a Marcelo Odebrecht.

5- Maurício Ferro, ex-diretor jurídico da Odebrecht, é investigado por “coordenar e concentrar em si todas as ações relativas as tratativas para impedir o avanço das investigações da Operação Lava Jato” a pedido de Marcelo Odebrecht, seu cunhado. Ferro foi preso nesta semana, na Operação Carbonara Chimica.

6- Carlos Alberto de Oliveira Andrade, dono da Caoa, é investigado por ter recebido, em casa, propina da Odebrecht no valor de R$ 500 mil. A suspeita é de que a propina teria como destino seu secretário Edvaldo Martins.

7- Edvaldo Martins da Silva, secretário de Carlos Alberto, é investigado por ser o destinatário da propina de R$ 500 mil que, segundo planilha de propina da Odebrecht, foi enviada à casa de seu chefe.

Autoridades e instituições que mais colaboraram na luta contra a corrupção no Brasil nos últimos anos estão cercadas. SAIBA MAIS

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários