TREVISO PODE LEVAR A GENTE BEM MAIS GRAÚDA

Mais cedo, publicamos o seguinte: “A Lava Jato obteve uma troca de mensagens em que o político italiano Donato Di Santo pede a Branislav Kontic ajuda de Antonio Palocci para conseguir um encontro com João Ferraz, então presidente da Sete Brasil. Ex-assessor de Massimo D’Alema, amigo de Lula, Santo fazia lobby para a empresa National Ports, da Austrália. ‘O propósito é apresentar um projecto totalmente innovativo em tema de pre-sal’, explicou. Na planilha da Odebrecht aparece um ‘Santo’. Será o mesmo?”

Pois bem, na resposta a Donato di Santo (veja abaixo), Branislav Kontic disse para ele procurar Júlio Camargo, do Grupo Treviso.

Treviso era uma três empresas que Júlio Camargo usava para distribuir propinas a ex-diretores da Petrobras, em especial Pedro Barusco e Renato Duque. As outras eram Auguri e Piemonte.

O Antagonista recomenda à Lava Jato que volte a interrogar Pedro Barusco e Júlio Camargoe aperte mais Renato Duque. Tudo indica que a Treviso serviu para pagar gente bem mais graúda.

Faça o primeiro comentário