TRF-1 anula relatório do Coaf com suspeitas sobre Wassef e encerra inquérito

TRF-1 anula relatório do Coaf com suspeitas sobre Wassef e encerra inquérito
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A terceira turma do TRF-1 considerou ilegal o Relatório de Inteligência Financeira (RIF) do Coaf sobre transações suspeitas do advogado Frederick Wassef e encerrou o inquérito.

O juiz federal Ney Bello, relator do caso, entendeu que não havia hipótese legal para expedição do documento no caso de Wassef e que se tratou de “geração espontânea”.

O Coaf, porém, informou que o relatório seguiu o padrão e se baseou em 34 comunicações de origens distintas.

A tese de Ney Bello teve o apoio de Maria do Carmo Cardoso e José Alexandre Franco, e pode abrir precedente perigoso para questionamentos sobre a metodologia de elaboração dos RIFs.

Em 2019, Dias Toffoli suspendeu por meses todas as investigações do país baseadas em relatórios do Coaf, ao decidir sobre um pedido de liminar de Wassef no inquérito de Flávio Bolsonaro.

O ministro acolheu o argumento de que os RIFs só poderiam ser compartilhados após autorização judicial, mas o plenário do Supremo derrubou a decisão.

Leia mais: Crusoé mostra como a corte do STF volta a ser palco de troca de farpas entre ministros, intrigas e até ameaças após o julgamento da reeleição no Congresso.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO